Colecções
A ideia de coleccionar vem de tempos idos remotos, principalmente do tempo em que se descobriu o chamado novo mundo e de onde foram sendo trazidos objectos exóticos. Os primeiros museus não tinham essa designação, chamavam-se Gabinetes de Curiosidades e a sua arrumação era aleatória. Hoje, os museus são locais onde as coisas estão mais organizadas, mas isso não significa que despertem mais a curiosidade do que os antigos gabinetes. Por vezes, as ligações que conseguimos criar são mais ricas na forma anterior. Mas se pararmos para pensar, desde então que o homem tem esta obsessão de coleccionar coisas de forma infinita, porque é essa a natureza de qualquer colecção: nunca está acabada, há sempre um próximo objecto para adquirir. Quando olhamos para uma colecção de óculos de uma determinada marca, esta é muito diversa, embora o todo constitua um corpo único ao qual presidiram critérios e motivações que se vão revelando à medida que analisamos cada modelo em particular. Quando escolhemos os óculos para as nossas lojas já usamos outros critérios que se baseiam em toda a experiência passada. É como se passássemos em revista todos os nossos clientes e imaginássemos: este ficaria melhor no Sr. J, este ficaria melhor na Srª. W e este na Srª D. Esta é uma forma de nos lembrarmos dos nossos clientes, porque é para eles que elegemos os modelos.